Os pilares do relacionamento interpessoal no trabalho

Não escolhemos as pessoas com quem vamos trabalhar – nossos superiores, subordinados, nem mesmo clientes. Por isso, é provável que tenhamos que nos relacionar com quem não nos damos bem. Como fazer? Segundo a consultora e palestrante Regina Gianetti, há pilares para os relacionamentos interpessoais no trabalho.

 

Regina aponta pelo menos cinco pilares: assertividade, autoconhecimento, cordialidade, empatia e ética. Entretanto, segundo a consultora, essa lista não é fechada. Ela pode ser alterada em breve, recebendo novas características que passam a ser fundamentais para garantir um bom relacionamento interpessoal.

 

“Podemos fazer amigos no ambiente corporativo, mas essa não é a regra. Por isso, a habilidade social é um aspecto muito valorizado atualmente. E os pilares ajudam os profissionais a estabelecer referências para o desenvolvimento pessoal e profissional. O conjunto dessas características determina o sucesso dos relacionamentos”, afirma.

 

Regina ressalta que o autoconhecimento é essencial porque, antes de conhecer as outras pessoas, é preciso saber como nós mesmos funcionamos. Assim, conseguimos elaborar estratégias para diminuir a chance de haver conflitos na hora de nos relacionarmos com os colegas.

 

Além disso, a consultora lembra que é muito clara a necessidade de sermos cordiais, mas nem sempre estamos atentos a isso. Por isso, é preciso colocá-la em prática nos pequenos gestos, como o envio de e-mails de trabalho. “Nessas mensagens, é importante desejar bom dia ou boa tarde. Mensagens secas, sem nem ao menos um pedido de ´por favor` ou um ´obrigado` podem atrapalhar o relacionamento”, pondera.

 

A empatia é a capacidade de se colocar no lugar dos outros. Segundo Regina, é preciso considerar os sentimentos das pessoas com quem nos relacionamos para garantir um relacionamento proveitoso para os dois lados. Além disso, a ética também é necessária em todos os momentos. “A ética nem sempre é algo simples de ser entendido, mas é preciso sempre agir sem ter a intenção de comprometer alguém. Isso é ser ético”, complementa.

 

A assertividade – capacidade de se expressar de forma clara – também é fundamental para o sucesso de um relacionamento. “É preciso saber falar, dizer o que pensa, mostrando seus pontos de vista e sentimentos. É natural que algumas pessoas sejam mais retraídas, mas é preciso ter iniciativa”, conclui.

 

Regina Giannetti é coach executiva e educadora corporativa com foco em liderança, comunicação e inteligência emocional.

Data da publicação: 09/10/2015