Responsabilidade social e competitividade

Atualmente, a Responsabilidade Social Empresarial (RSE) é uma preocupação de todos os setores da economia e da sociedade. Mas, muitas vezes, existe a ideia de que ela pode custar caro. Para entender melhor como esse processo funciona, e também outros detalhes importantes na relação entre RSE e competitividade, o Universeg conversou com Maiso Dias, consultor com grande experiência na área. Confira!

Data da publicação: 12/08/2014
  • UniverSeg A Responsabilidade Social Empresarial é, hoje, um fator de competitividade?

  • É, já que se trabalha alguns dos stakeholders importantes da cadeia de valor de uma empresa, tais como: clientes, fornecedores, governança, público interno, comunidade, etc.

  • UniverSeg De que forma a RSE influencia na competitividade?

  • De muitas forma, entre elas: facilita a cumprir exigências legais, permite monitorar alguns dos principais riscos à gestão, melhora a qualidade de vida dos colaboradores, promove uma comunicação mais transparente com os stakeholders, estabelece credibilidade com investidores e acionistas, melhora relacionamento com o governo, a mídia e comunidade do entorno, melhora a qualidade da cadeia de valor, proporcionando uma melhor negociação com fornecedores, estimulando uma melhor produção.

  • UniverSeg Há setores em que a Responsabilidade Social tem maior importância?

  • Sim. Na área de gestão de pessoas. Porém, tratase de um tema transversal, que todos de uma empresa precisam conhecer para poder aplicar e valorizar.

  • UniverSeg Existe um senso comum que diz: empresas socialmente responsáveis têm mais gastos. Isso é verdade?

  • Não, isso é um mito. Já foi comprovado que em qualquer área, para se fazer uma mudança gerase custos. Mas com Responsabilidade Social você deixa de perder, para depois lucrar. Em 2012, as empresas mais lucrativas e rentáveis segundo a Bolsa de Valores de São Paulo eram as empresas sustentáveis. A partir do momento que a empresa reconhece, valoriza e retém seus colaboradores, valoriza seus clientes para atraílos e retêlos, assim como, valoriza os fornecedores e toda a cadeia, temos melhores preços de compra. Consequentemente, há uma melhor negociação, fora a reputação e o valor da marca, que crescem com as ações socioambientais.

  • UniverSeg Nesse contexto, podemos dizer que a criatividade ajuda a empresa a desenvolver ações bem sucedidas com vistas à RSE?

  • Sim, com um programa de gerenciamento de ideias, estimulando a inovação e um programa de voluntariado corporativo.

  • UniverSeg De que forma a empresa deve se relacionar com a comunidade em que está inserida?

  • Antes de tudo com uma definição e alinhamento por parte da diretoria da sua causa social, que tem relação com questões e problemas de cada região – seja seca, chuvas, violência... Daí, partese para um diagnóstico e assim para as ações, com projetos e programas com a comunidade. Isso reforçado, claro, por uma boa ferramenta de diálogo com a comunidade para ouvir a necessidade do entorno.

  • UniverSeg Como a empresa deve agir para que seus colaboradores, fornecedores e parceiros também estejam envolvidos no processo de estabelecimento da responsabilidade social?

  • Resumindo: implantando corretamente e sistematicamente os subsistemas de RH seleção, contratação, integração, desenvolvimento, desligamento de profissionais , um estruturado código de conduta, tanto para cliente interno como para os fornecedores e parceiros, criando um comitê para dialogar com eles e aplicar ferramentas de diálogos, daí saber a real necessidade.