Em busca do autodesenvolvimento

O autodesenvolvimento é a capacidade do profissional entender o conceito de "Protagonismo". Somos "Protagonistas" de nossas vidas. A carreira não é da organização, é nossa. Uma vez entendido o conceito, cabe ao profissional investir na sua carreira, não esperar que façam investimentos por ele. Quem afirma é o consultor e coach Rubens Gurevich, que atua na empresa Your Life no Brasil.

Data da publicação: 12/08/2014
  • UniverSeg Todo profissional deve buscar o autodesenvolvimento?

  • Aquele que não buscar o autodesenvolvimento estará comprometendo a sua qualidade de entrega. O discurso atual utiliza o conceito "Protagonista". Não espere que o RH faça o desenvolvimento do profissional, o RH tem por missão indicar caminhos e prover ferramentas. Usando como exemplo, quando alguém vai a uma academia de ginástica para ganhar musculatura ou perder peso, encontra professores e aparelhos à sua disposição. Mas quem faz o treino e transpira a camisa não é o professor.

  • UniverSeg De que forma é feita essa busca?

  • O primeiro passo é o autoconhecimento. É a identificação clara de quais são seus motivadores e quais são seus medos básicos. Quais comportamentos o alavancam e quais comportamentos comprometem sua performance. Por exemplo, testes psicométricos que utilizam o conceito DISC fornecem esse tipo de informação. Uma outra forma de buscar autoconhecimento é pedir feedbacks à quem trabalha com você. Identificados os pontos de atenção, a ajuda pode vir desde literatura sobre o assunto a ser desenvolvido até a contratação de um processo de coach. Mais importante que o processo, é a conscientização da importância da mudança.

  • UniverSeg Como saber os próprios pontos fortes e fracos?

  • Perguntar de forma objetiva quais seus pontos fortes e fracos à uma rede de avaliadores é um bom caminho. Envolver nesse processo o gestor, pares e subordinados pode trazer uma riqueza de informações que fará a diferença. Mas é importante estar preparado para os feedbacks construtivos. Receber feedbacks diretos e objetivos sobre nossos pontos fracos não é uma missão fácil, mas é fundamental para o nosso processo de crescimento.

  • UniverSeg Identificados os pontos fortes, como calibrálos?

  • Todos nós temos pontos fortes e fracos. Somos reconhecidos pelos outros em função disso. Pode acontecer que o ponto forte de alguém necessite de uma calibração. Tomemos o exemplo de alguém que tem por ponto forte a Comunicação. O profissional expõe de forma clara suas idéias, é bastante verbal, é motivador e persuasivo. No entanto, é visto pelas pessoas por falar demais, por vezes cansando seus interlocutores. Está claro que mesmo sendo seu ponto forte, neste exemplo, necessita de um ajuste.

  • UniverSeg Talentos e habilidades naturais devem ser trabalhadas em prol do autodesenvolvimento? De que forma?

  • Sem dúvida. Reconhecer nossos talentos e habilidades naturais ajudam no processo de autodesenvolvimento, mas isolados não farão a diferença. Estabelecer um plano de ação e fazer acontecer, essa é a regra de ouro para um autodesenvolvimento sustentável. O talento precisa ser trabalhado para se transformar em ponto forte.

  • UniverSeg Como lidar com os pontos fracos?

  • Primeiro entender que o ponto fraco é um limitador de performance. De alguma forma, limita sua capacidade de entrega. O objetivo passa a ser diminuir essa limitação, não fazer com que ela desapareça, mas fazer com que o impacto negativo seja minimizado.

  • UniverSeg É preciso fazer um ponto fraco virar um ponto forte?

  • Dificilmente um ponto fraco se transformará em um ponto forte. Uma vez diagnosticado o ponto fraco a missão passa a ser controlar seus efeitos negativos e transformálos em efeitos positivos.

  • UniverSeg Na hora de fazer essa análise, o que é mais importante: o julgamento próprio ou a avaliação de outras pessoas sobre nossas fraquezas e pontos fortes?

  • Podemos ficar surpresos com a percepção de outras pessoas sobre os nossos pontos fortes e fracos. O ideal é que possamos comparar essas duas visões, através de uma autoavaliação comparada a avaliação de outras pessoas sobre o mesmo assunto. As diferenças de percepção poderão render conversas muito produtivas, indicando de forma clara o que são pontos fracos e fortes.