Administrando divergências

Flexibilidade e administração de divergências

Divergências e conflitos são comuns em ambientes de trabalho e podem até ser positivos para a empresa como um todo, se bem administrados. Por isso, a flexibilidade é essencial. Quem afirma é a psicóloga e coach Taís Targa, que tem mais de 15 anos de experiência na área de recursos humanos.

 

Taís Targa é psicóloga e mestre em Educação, especialista em Transição de Carreira e Coaching e Partner da TTarga Career Consulting em Curitiba (PR).

Data da publicação: 09/03/2016
  • UniverSeg Devemos encarar os conflitos e divergências como naturais no ambiente de trabalho?

  • Taís Targa: Todo tipo de relacionamento humano provavelmente vai passar por momentos de conflito. E é até saudável que eles existam até certo ponto. Um ambiente sem conflitos e divergências pode sofrer uma certa estagnação. Em alguns ambientes, as pessoas têm perfil muito homogêneo e, por isso, a empresa não inova tanto.

  • UniverSeg Nesse contexto, qual a importância de ser flexível?

  • Taís Targa: Hoje, para uma pessoa ter bons relacionamentos, seja em casa, seja no ambiente de trabalho, é preciso ter sempre uma boa dose de flexibilidade e assertividade. É necessário ter condição de aceitar o que o outro diz, aceitar o desejo do outro, mas de alguma forma também lutar por seus desejos e direitos, sempre de uma maneira que a própria pessoa não se machuque, e também não machuque os outros envolvidos. Enquanto característica profissional, a flexibilidade está sendo muito demandada nas organizações, pois as pessoas precisam se relacionar o tempo inteiro, mesmo que não seja presencialmente. Aliás, na comunicação online é preciso ser ainda mais flexível. Quando não estamos sempre ao lado das pessoas, trabalhando juntas e conversando olho no olho, nem sempre é possível conhecer de fato o colega, conquistar amizade dele. Por isso é preciso ser flexível até mesmo para responder um e-mail, encontrando a forma adequada de se expressar.

  • UniverSeg Como identificar um profissional flexível?

  • Taís Targa: Primeiramente, é essencial que esse profissional saiba ouvir. Essa é uma característica muito difícil de encontrar. É preciso ter paciência para driblar os conflitos e se mostrar de forma assertiva no ambiente de trabalho. Caso um profissional identifique que não tem essas características, ele já percorreu boa parte do caminho para mudar o jeito de ser, já que geralmente as pessoas inflexíveis não têm essa consciência. Se entender que precisa desenvolver essa competência, deve procurar ler sobre o assunto e, principalmente, praticar a flexibilidade nas ações diárias. Não é fácil, pois muitas vezes há uma linha tênue entre ser flexível e ceder à vontade e pressão do outro. E isso só é desenvolvido no dia a dia.

  • UniverSeg Qual deve ser a postura da empresa em relação aos conflitos e à flexibilidade dos funcionários?

  • Taís Targa: A empresa deve admitir que existem conflitos, que o relacionamento humano é complexo. Assim, deve dar espaço pra que essas divergências venham à tona, conscientizando seus funcionários e, principalmente, os líderes para que eles consigam lidar de maneira saudável com a situação, sempre na base do diálogo, sem ser agressivo, para tirar boas soluções a partir daí.