A flexibilidade como vantagem competitiva

A flexibilidade é uma característica essencial para as empresas e seus funcionários. Ela pode ser observada na hora de uma negociação, de renovar a marca ou até para implantar uma nova forma de comunicação com os clientes. Em entrevista, Oswaldo Scaico, professor do curso de administração na Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo (FEA-USP) e autor do livro “Organização Flexível”, fala sobre o conceito de flexibilidade e as vantagens que as empresas adquirem ao colocarem essa característica como prioridade.

Data da publicação: 12/08/2014
  • UniverSeg Hoje, as empresas mais flexíveis e que procuram se adaptar às mudanças do mercado saem na frente? Que tipo de vantagens uma empresa pode ter ao adotar uma postura mais flexível?

  • Entendo que uma empresa é tanto mais flexível quanto maior a rapidez com que ela se adapta a mudanças de maneira controlada, sem perder (às vezes até aumentando) sua eficácia (produtividade e qualidade) e mantendo o nível de recursos disponíveis no mesmo patamar anterior à ocorrência das mudanças. As empresas mais flexíveis costumam ter as seguintes vantagens: tomar a dianteira na conquista de novos clientes, período menor para obter o retorno de investimentos em inovação, simplicidade no treinamento dos colaboradores para adaptação à mudança e ambiente sem transtornos para implantar modificações internas.

  • UniverSeg Quais são as atitudes esperadas de uma empresa para que ela seja considerada flexível?

  • Quanto às atitudes recomendáveis para uma empresa adquirir e manter flexibilidade destacamos pelo menos duas: manter atividades ininterruptas em pesquisa, tanto de mercado como de desenvolvimento tecnológico, e, sob o aspecto de organização interna, implementar um modelo de gestão por processos, através da clara definição da matriz de responsabilidades para cada processo, na qual são especificadas as atribuições de cada posição funcional (cargo) em cada etapa de cada processo. É fundamental entender que a flexibilidade é proveniente da facilidade em realocar pessoas em funções já previamente especificadas e não, como muitas vezes se julga, sem especificar claramente atribuições para permitir que as pessoas atuem como acharem melhor, improvisando, sem analisar as devidas decorrências nas interações organizacionais. Sem planejamento em que se contemplam diferentes cenários possíveis, não há como adquirir flexibilidade.

  • UniverSeg Como as empresas podem se preparar para as mudanças do mercado, prevendo tendências ao invés de simplesmente se adaptarem ao que já está acontecendo?

  • Além das duas atitudes descritas na resposta anterior, é imprescindível desenvolver a função de análise de mercado, que envolve previsão de demanda, tendências de hábitos, mudanças culturais, inovações tecnológicas. Para que o sucesso possa ser mais abrangente e duradouro, é altamente recomendável que essa análise de mercado esteja inserida num projeto mais amplo de planejamento estratégico, no qual são diagnosticados e especificados os pontos fortes e os pontos fracos da empresa diante das ameaças e oportunidades externas, tanto as existentes como as previstas nos diferentes cenários.

  • UniverSeg Como os consumidores enxergam as empresas mais flexíveis?

  • Os consumidores enxergam a flexibilidade organizacional como um dos principais fatores de confiabilidade na empresa, ou seja, confiam em quem é capaz de se adaptar sem transtorno às necessidades da demanda.